.................................................................................não tirem o vento às gaivotas

30/06/2013

kali




vladimir kush




nunca compreendi pessoa – como é possível ser tanto num corpo só - estou a meio de  um fim-de-semana num corpo desmanchado por processos que não reconheço – sou um eu agora e logo não sou – um corpo meio morto de desgosto. respiro – outro meio corpo vive para ver a outra parte morrer. respiro –  a festa vai ser de arromba num funeral de cortar a respiração



17/06/2013

embuste




caravaggio - o beijo de judas




imensamente tranquilo – o tempo é realmente a única cura contra a dor da desilusão – é o que faço neste momento. aguardo – aguardo com a verdade de um coração que nunca se deixou manipular – aguardo com tudo o que sempre tive – nós aguardamos – aguardamos todos neste lugar com janelas a que chamo lar – lá fora. do outro lado deste lugar que nos cobre com dignidade. corre a mentira – não se engana o mundo sábio. alguns tolos talvez – corre descalço o embuste. carrega em fardo pesado uma vida de fraude – pobre e coitada. só como sempre. inverte o mundo para ficar de pé – estamos aqui todos. todos como se fossemos um só tempo – como sempre e para sempre. aguardamos imensamente tranquilos - nós


13/06/2013

elegia na morte da manipulação




federico castellon




estou finalmente numa paz feita de algodão doce – a última vez que senti esta paz aconchegadora  foi  no dia em que enterrei o meu pai – a doença foi cruel e o sofrimento muito. para todos – estar em paz é voltar a viver  em harmonia com as leis naturais da vida. doce – lar doce lar  



10/06/2013

todos




fernando botero





nada melhor do que um dia de chuva para compreender que aqui por casa continuamos todos



08/06/2013

de pernas para o ar




 edvard munch




"Ingratidão é uma forma de fraqueza. Jamais conheci homem de valor que fosse ingrato."




johann goethe